Retroescavadeiras estão entre os equipamentos mais requisitados

As retroescavadeiras têm requisitos de sobra para se manterem entre os equipamentos mais cotados: basta implementá-las com rompedor hidráulico, garfo pallet, placa vibratória, caçambas de variados tamanhos e funções, vassoura hidráulica, implementos florestais, perfuratrizes e pronto! A máquina funciona como um canivete suíço para trabalhar em diferentes áreas.
No ano passado, a Caterpillar comemorou 15 anos do início da produção de retroescavadeiras no Brasil e 30 no mundo, com 300 mil unidades comercializadas. Em fevereiro de 2016, a empresa lançou a série F2 de retroescavadeiras, modelos 416F2 e 420F2 produzidos na fábrica da empresa em Campo Largo (PR).

“A princípio, a produção dessa linha está focada na exportação para países latino-americanos, africanos e do norte da Ásia, já que as vendas para o mercado brasileiro hoje estão retraídas”, explica o presidente da Caterpillar Brasil, Odair Renosto. Contudo, a maior parte da produção da empresa ainda tem sido destinada ao mercado interno. “Se os negócios no Brasil continuarem desacelerados, a tendência é que o quadro se reverta e as exportações atinjam um percentual maior. A empresa conta com linhas atualizadas e prontas para atender ao mercado internacional”, confirma o presidente.

A configuração mecânica da série F2 está reforçada para o uso de implementos como rompedores hidráulicos, garras, compactador entre outros. “O design da lança das retroescavadeiras está desenhado de forma mais reforçada, similar a uma escavadeira”, informa Rodrigo Cera, especialista de aplicação de produto da fábrica da Caterpillar em Campo Largo.
De acordo com ele, o desempenho de carregamento foi melhorado nessa nova série. “O braço agora tem design paralelo, o que aumenta a força de desagregação do material em 13%, a capacidade de levantamento em altura máxima em 10% e altura máxima de despejo em 17 centímetros”, diz Rodrigo, acrescentando que os novos modelos chegam a atingir 40 quilômetros/ hora de velocidade máxima, com 14% de força maior que modelos anteriores da marca.

DIMENSÕES REDUZIDAS E BOAS MANOBRAS
Acrescente outra vantagem para as retroescavadeiras: a facilidade de transporte. Por ser uma máquina de pneus, desloca-se com velocidade e agiliza os trabalhamos numa obra. Uma referência mundial em concepção de projeto e fabricação de retroescavadeiras é a Case, que destaca o modelo 580N fabricado no Brasil.

De acordo com a fabricante, a máquina proporciona conforto, ergonomia, com força de desagregação no braço de escavação, braço da carregadeira robusto, bom alcance de descarga e altura máxima melhorada. Produzida na fábrica da Case em Contagem (MG), possui os opcionais de transmissão Powershift S-Type e do controle do implemento traseiro Pilot Control, que aumentam o conforto ergonômico e a produtividade, pois reduzem o cansaço do operador. A nova transmissão é mais indicada para trabalhos com deslocamento e uso do implemento frontal. E o Pilot Control é mais requisitado em aplicações com implemento traseiro de escavação.

“No mercado brasileiro, a 580N é a única com essas duas tecnologias conjuntamente ou separadas, de acordo com a necessidade. Como a retroescavadeira é o equipamento mais versátil do segmento, é comum que ela tenha várias aplicações e que a parte traseira e dianteira sejam igualmente importantes”, destaca Carlos França, gerente de marketing da Case para a América Latina.

ESCAVAÇÃO, ABERTURA DE VALAS E ELEVAÇÃO DE CARGAS
A New Holland Construction fornece no Brasil três modelos de retroescavadeiras: B90B, B95B e B110B para serviços como escavação, elevação de carga e abertura de valas com rapidez e precisão. Rafael Barbosa, especialista de marketing de produto da empresa, diz que versatilidade é a palavra que mais se encaixa quando se fala em retroescavadeiras.

“A máquina é capaz de realizar tarefas além dos canteiros de obra, desempenhando bom papel em limpeza, obras de manutenção, recuperação de ruas, redes pluviais e esgotos”, observa.
A B95B se destaca pela agilidade, alcance, precisão e força, além de oferecer segurança na operação. Assim como a versão B11B, a máquina possui motores turboalimentados, que oferecem mais torque e potência. De acordo com Rafael, o motor New Holland utiliza componentes robustos e correias poli–V autoajustáveis para maior durabilidade. “Jatos de óleo refrigeram a parte inferior dos pistões para um controle perfeito da temperatura, uma função que geralmente é reservada a motores de maior potência”, explica.

AUMENTO DE PRODUTIVIDADE EM CONSTRUTORA
A Primavera Equipamentos, localizada na cidade de Novo Mundo (MS), realiza obras de preparação de terrenos na cidade há quase 30 anos, além de construir tanques para piscicultura. Nos dois casos, a empresa utiliza a retroescavadeira H940C, da BMC-Hyundai.
Segundo Sílvio Westmaier, gerente da construtora sul-mato-grossense, a retroescavadeira Hyundai é ágil e com potente força de escavação. “É possível compará-la a um carro pois a cabine é bem silenciosa”, completa Sílvio. “Já entrei até em barreiro com ela que, por ser pesada, achei que não ia conseguir cumprir o serviço. Mas ela entrou e desempenhou muito bem”, resume o especialista da Primavera, acrescentando que a H940C é uma das melhores retroescavadeiras.

Edson Gongora, representante comercial da BMC-Hyundai no Mato Grosso do Sul, destaca que as características de agilidade e força de escavação são resultado dos recursos da máquina. “A vazão maior da bomba favorece uma operação mais ágil, devido a redução do tempo de ciclo de operação”, diz Edson.

RETROESCAVADEIRA GANHA GUINCHO PARA BIG BAG
Thomas Serrarens, um dos sócios do Grupo Barreiro, informa que utiliza uma retroescavadeira JCB 3C 4×4 que além de realizar serviços como escavação e carregamento simples, faz também carregamentos de feijão, carga e descarga de fertilizantes. O grupo se dedica ao setor agrícola no plantio de grãos como soja, milho, feijão, além do cultivo do algodão e laranja. Além de usar tratores agrícolas, também emprega equipamentos para trabalhos como carga e descarga de produtos como calcário, gesso e fertilizantes em grandes sacos chamados de big bag.
“O rendimento no trabalho é muito bom pois a máquina conta com um câmbio de frente e reversão muito melhor e mais fácil de trabalhar, além do giro bem mais curto. Tudo isso facilita e dá mais agilidade nas manobras dentro do barracão”, diz Thomas.

Antes da chegada da retroescavadeira, o trabalho era realizado por tratores agrícolas com um kit adaptado na parte da frente. Para o empresário, o serviço quando executado pelo trator perde em agilidade. “Usamos muito parte traseira da retro para aberturas de adutores, limpeza de valetas, saídas de água e manutenção de estradas”, diz Thomas. E agora com o kit adaptado, a retro consegue realizar o trabalho do trator com mais eficiência.

FOCADA NO CANTEIRO DE OBRA
A Randon tornou-se uma tradicional fabricante de retroescavadeira com duas versões da RD 406: a Advanced e a Standard. Segundo a empresa, as máquinas possuem tecnologia de ponta, fácil manutenção, baixo custo operacional e de consumo de combustível.
Os principais atributos desses equipamentos são segurança, conforto e alta produtividade operacional. Desenvolvidas, especialmente, para aplicação em obras de infraestrutura e construção civil, as máquinas contam com estrutura reforçada para suportar grandes cargas, choques e torções em severas aplicações.

Fonte: Portal dos Equipamentos

COLABORARAM PARA ESTA MATÉRIA
Carlos França – Gerente de marketing da Case para a América Latina
Edson Gongora – Representante comercial da BMC-Hyundai no Mato Grosso do Sul
Odair Renosto – Presidente da Caterpillar Brasil
Rafael Barbosa – Especialista de marketing de produto da New Holland Construction
Rodrigo Cera – Especialista de aplicação de produto da fábrica da Caterpillar em Campo Largo
Sílvio Westmaier – Gerente da Primavera Equipamentos
Thomas Serrarens – Um dos sócios do Grupo Barreiro

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

BASE SETEMBRO/2020 - VALORES DE REFERÊNCIA PARA LOCAÇÃO DE EQUIPAMENTOShttps://sindileq.org.br/wp-content/uploads/2020/09/SUGESTAO-DE-PRECOS-BASE-SET2020.pdf