Recursos eletrônicos favorecem redução de custo operacional dos equipamentos

Tecnologia reduz consumo, faz diagnóstico e aumenta desempenho.

Nos últimos anos, a frota brasileira de equipamentos evoluiu com sistemas sofisticados de gestão e monitoramento remoto para garantir segurança e confiabilidade às operações. Agora o desafio é fazer a tecnologia apresentar resultados satisfatórios com a melhora de produtividade, diminuição do consumo de combustível e redução de manutenções inesperadas.

Em todo o mundo, assim como no Brasil, é nítido o aproveitamento enquanto a precisão e rapidez por meio do aprimoramento tecnológico nas máquinas. Mas a economia direta atrelada ao aumento de desempenho é, sem dúvida, o mais perceptível benefício, segundo Giandri Machado, gerente geral da Sitech, empresa do Grupo Sotreq. “A matriz de ganhos é relevante nas áreas de gestão de equipamentos (ativos), gestão da operação e de sustentabilidade, com claros resultados em saúde, segurança e meio ambiente”, acrescenta.

A Case lançou este ano o aplicativo Site Control, para motoniveladoras, escavadeiras hidráulicas e tratores de esteiras. Trata-se de um item opcional capaz de determinar qual a profundidade ideal para o corte de terreno ou mesmo o melhor ângulo de ataque da caçamba para a remoção de material em obras de terraplanagem e preparo da área.

Em testes feitos pela Construtora JMalucelli numa obra no Paraná, para implantação da infraestrutura da plataforma industrial da nova linha de produção da empresa de celulose Klabin, a tecnologia foi utilizada em três modelos de máquinas: motoniveladora 865B, trator de esteira 2050M e escavadeira hidráulica CX220. De acordo com o gerente de marketing da Case, Carlos França, houve um aumento de produtividade de 63%, o que gera uma economia superior a R$ 450 mil no ano em uma máquina pelo período de 1.500 horas.

REDUÇÃO DE CONSUMO NA PONTA DO LÁPIS

Segundo valores obtidos pela Case com a JMalucelli, a economia de R$ 450 mil anuais foi computada em alguns pontos.Houve redução da hora produtiva, em ganho de R$ 66,60 por hora e R$ 99.900,00 por ano (análise sobre 1.500 horas no ano, considerando depreciação, juros, pneus, combustível, lubrificação, operador, manutenção). Também foi considerado o corte de três auxiliares de operação e greidistas, numa economia de R$ 6.000,00 mensais e R$ 72.000,00 anuais. A equipe de topografia também ficou mais enxuta e custaria normalmente cerca de R$ 25.000,00 por mês e R$ 283.200,00 por ano.

“Na motoniveladora, o Site Control calcula a profundidade do corte automaticamente, tendo como referência o plano gerado pelo nível do laser rotativo”, explica França. “Automatizando o controle da lâmina para as motoniveladoras, a qualidade de cada passada da máquina pelo terreno é muito maior. Ela retira e distribui o material de forma mais eficiente e precisa. Uma camada inferior bem preparada permite uma economia camada posterior que irá impactar no custo da obra, uma vez que os materiais mais caros são espalhados sem desperdício”, informa.

Para Giandri Machado, gerente geral da Sitech, é plenamente possível estimar a economia no consumo de combustível durante as operações de motoniveladoras e tratores de esteiras. A automatização de lâminas de ambas as máquinas fazem com que os métodos construtivos tenham aumento de produtividade de duas a seis vezes. Machado se refere a sistemas de controle automático das lâminas por meio das tecnologias laser, cross slope ou satélite fornecidos pela Sitech. Entre eles, estão o GCS 900 e o GNSS 900.

“Ao se estimar uma média baixa de três vezes de aumento, a produção de 30 dias se reduz a 10, com economia de 20 dias de trabalho”, explica Machado. “Considerando que o custo horário de uma máquina média é de R$ 240 a hora e a média de consumo de combustível é de R$ 60 a hora. Num turno de oito horas a economia de combustível é de R$ 9.600, e a economia por máquina é de R$ 38.400 para o mesmo período”, calcula.

OPÇÕES EXTRAS E PADRÃO ATRAENTE

Os sistemas são opcionais para todos os modelos de equipamentos atuais. Segundo Machado, é possível que a máquina venha preparada para receber a tecnologia em um segundo momento. “Assim, a Caterpillar entrega o equipamento com denominação ARO (Accugrade Ready Option), que é a opção de vir pronta para a instalação da tecnologia Trimble de controle de Máquinas. Ela vem com preparações mecânicas, elétricas e hidráulicas de fábrica, e quando o cliente decidir instalar a tecnologia de automação, torna-se mais rápida e barata a instalação”, explica.

Uma tecnologia que vem chamando a atenção do usuário, tanto por ser item padrão de fábrica como pelos benefícios, é o Komtrax, instalado nos equipamentos Komatsu. Para o sócio da Delta Terraplenagem, Joubert Morais, o diagnóstico e os alertas de irregularidades emitidos quando os equipamentos apresentam falhas durante o trabalho são capazes de evitar sérios danos.

Ele conta que graças a esses alertas, conseguiu evitar prejuízos em duas escavadeiras da empresa por meio de diagnósticos precisos, enviados à distância. “Uma trabalhava na Granja Comary, no Rio de Janeiro. Ela apresentou problemas e a Komatsu apurou no sistema que era com o diesel. O técnico foi enviado ao local e a irregularidade foi confirmada”, informa Joubert.

“Outro problema aconteceu em uma obra na Rodovia dos Imigrantes. O alerta enviado pelo Komtrax acusava irregularidades no filtro de óleo. Fiquei na dúvida, porque tínhamos trocado recentemente esse item. Quando o técnico chegou ao local constatou que o anel de rosqueamento do filtro tinha danificado na ocasião do encaixe e apresentou vazamento de óleo”, relata o diretor da Delta.

O Komtrax envia informações de operação da máquina a um site utilizando a tecnologia sem fio. Dados como horário de funcionamento, desempenho dos componentes, utilização da máquina (incluindo o tempo ocioso e o consumo de combustível) e produtividade são retransmitidos para a aplicação web e disponibilizados on-line para análise. Em tempo real, o sistema monitora a disponibilidade da máquina e permite o diagnóstico remoto de falhas. Um relatório com os dados é enviado diariamente para um controlador central da Komastu e para o cliente, sendo possível receber e-mails instantaneamente sobre a operação dos equipamentos ao longo do dia.

Fonte: Portal dos Equipamentos
COLABORARAM PARA ESTA MATÉRIA
Carlos França – gerente de marketing da Case
Giandri Machado – gerente geral da Sitech
Joubert Morais – sócio da Delta Terraplenagem

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

BASE SETEMBRO/2020 - VALORES DE REFERÊNCIA PARA LOCAÇÃO DE EQUIPAMENTOShttps://sindileq.org.br/wp-content/uploads/2020/09/SUGESTAO-DE-PRECOS-BASE-SET2020.pdf