Contaminação hidráulica reduz desempenho de tratores de esteiras

Contaminação hidráulica reduz desempenho de tratores de esteiras

A contaminação do sistema hidráulico de tratores de esteiras pode ser extremamente nociva, sendo, inclusive, capaz de impactar o desempenho das máquinas. O desgaste e o aumento de folgas das peças aliados à redução de pressão hidráulica reduzem a velocidade em trabalhos como espalhamento de terra, rebaixamento de terrenos, nivelamento e limpeza de vegetação com a lâmina.

Vários agentes são causadores dessa contaminação, em especial o dióxido de silício e a areia, que é a principal matéria-prima sobre a qual o trator de esteiras opera e permanece durante o trabalho. “A areia normalmente é encontrada no sistema em partículas minúsculas de, aproximadamente, 0,063 milímetros”, informa o engenheiro Angelino Pereira de Carvalho, diretor da Rekom.

“As hastes de cilindro e os eixos motrizes se movimentam o tempo todo, e a peça principal que impede a entrada de areia no sistema hidráulico é o retentor de pó, parte normalmente exposta ao aquecimento, ao resfriamento e à movimentação, desgastando-se com o tempo. Esses retentores e vedações têm vida útil limitada, ressecam e devem ser substituídos”, explica.

Outro agente de contaminação é o próprio desgaste das peças que compõem o sistema hidráulico de tratores de esteiras. De acordo com Carvalho, os itens de baixa qualidade se desgastam prematuramente e podem causar falhas repentinas e quebras de componentes, gerando custo elevado de reparação.

PREJUÍZOS NA BOMBA HIDRÁULICA

Uma das graves consequências da contaminação é a perda de força e de velocidade do sistema hidráulico, com queda acentuada na produtividade do trator de esteira. Everton Braga, engenheiro e especialista em manutenção de sistemas hidráulicos da Sotreq, diz que há situações em que a bomba hidráulica precisa ser reformada ou substituída.

“Dependendo da gravidade da contaminação, pode ocorrer perda de eficiência desse componente. O importante é sempre aplicar as boas práticas de manutenção, principalmente em trabalhos realizados em aterros sanitários e aplicações nas quais há partículas suspensas”, informa Braga.

COMO EVITAR A CONTAMINAÇÃO?

De acordo com Braga, possíveis problemas podem ser detectados no início se forem realizadas inspeções diárias e manutenção preventiva, como troca de filtros conforme prescrito no manual de manutenção do trator e inspeção visual dos filtros logo após a troca.

Angelino Carvalho, da Rekom, também cita alguns procedimentos simples que podem minimizar o problema. “Lavar o trator antes de realizar as intervenções de manutenção ou reparos, removendo o pó grudado nas mangueiras, ajuda a prevenir o sistema da contaminação. A frequência da manutenção preventiva dos componentes do trator precisa ser regulada de acordo com o desgaste do trabalho, ou seja, quanto mais pesadas forem as operações e expostas à areia e ao pó, mais o equipamento precisa de manutenção para não perder desempenho”, finaliza Carvalho.

Fonte: Portal dos Equipamentos

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comunicado: Estamos de mudança! Neste período os contatos podem ser feitos através dos telefones (31) 99514-7982 / (31)98409-7307 ou pelo whatsapp (31) 98845-1701. Na segunda-feira retomaremos as atividades no novo endereço: Rua Almirante Alexandrino, 125 - Gutierrez