5 DICAS QUENTES PARA ECONOMIZAR NA CONSTRUÇÃO CIVIL

5 DICAS QUENTES PARA ECONOMIZAR NA CONSTRUÇÃO CIVIL

1 – Planejamento

Um planejamento preciso e eficiente evita perda de materiais, perda de recursos financeiros e de mão de obra. Você pode considerar que,  na construção civil, o planejamento é tão importante quanto a execução.

Com planejamento, é possível acompanhar o desenvolvimento do projeto e prever ações que podem garantir preço, prazo e qualidade.

É no planejamento que você verifica se a sua empresa tem dinheiro de caixa suficiente para cobrir custos operacionais. Depois, é hora de avaliar se o projeto trará lucros ou não para a sua construtora. Faça um estudo de viabilidade e levante as seguintes informações:

  •         Equipamentos e ferramentas a serem utilizados;
  •         Custo para execução da fundação;
  •         Custos e orçamentos para preparação do terreno;
  •         Custos de terceirização e/ou contratação de mão de obra;
  •         Prazos para cada etapa da obra;
  •         Taxa de remuneração da construtora;
  •         Custos dos projetos arquitetônicos, estruturais, elétricos, hidrossanitários, prevenção de incêndio, ambientais, entre outros;
  •         Custos da regularização e licenciamento de obra;
  •         Possibilidades de financiamento e condições de pagamento;
  •         Cálculo de orçamento de obra;
  •         Cronograma de obra organizado;
  •         Cálculo de Retorno sobre Investimento (ROI);
  •         Cálculo de BDI;
  •         Planejamento de vendas.

2 – Evitar a obra parada

Quando se fala de perda de tempo em uma construção, a primeira coisa que vem à cabeça é a obra parada e, consequentemente, mão de obra parada, não é mesmo?

Quase sempre o problema da obra parada está relacionado a erros de planejamento, que resultam em uma gestão deficiente e geram perda de receita.

Mão de obra parada é resultado da falta de material, que é gerada por um orçamento defasado, alteração de projeto e falha no processo de compras. A causa também pode ser a má utilização do material da construção.

Se a quantidade requerida não seguir o previsto no orçamento, acarretará material não utilizado, que pode depreciar ou virar entulho. Por outro lado, se a quantidade for inferior ao necessário, uma segunda compra para pequena quantidade pode resultar em preço unitário mais caro.

Para economizar na construção civil, você tem que pensar no estoque. Um estoque cheio significa comprometimento de dinheiro antes do necessário, o que pode afetar outros pagamentos ou aplicações.

Dicas para amenizar as perdas com materiais:

  • Prepare-se para dias de chuva e tenha sempre um plano de ações em locais cobertos. Se a obra for totalmente exposta, considere uma margem de erro no tempo previsto em caso de chuva;
  • Garanta que os materiais e equipamentos sejam transportados corretamente pelo canteiro e evite deslocamento de material em longos trajetos;
  • Programe as compras necessárias para toda a obra;
  • Lembre-se de que comprar tudo de uma vez pode reduzir o custo de compra, mas a compra em etapas pode reduzir o desperdício com mudanças de projeto;
  • Busque melhorar a gestão de compras por meio de um sistema de gestão;
  • Integre o controle de estoque ao planejamento de atividades;

Clientes insatisfeitos também afetam muito o caixa da empresa.

Atraso e má qualidade da obra resultam na depreciação da marca, e por consequência, todos os seus imóveis serão taxados com base nesse problema.

Como dizem os profissionais de marketing, o custo de 1 cliente insatisfeito pode afastar até 20 possíveis clientes.

O custo de reter um cliente pode ser muito menor do que o de conquistar um novo.

3 – Mão de obra

como economizar na construção civil

As empresas devem estar atentas às falhas no dimensionamento de pessoal e na distribuição do tempo de execução de tarefas dos trabalhadores.

Outra dificuldade enfrentada por empresas é ter uma equipe inchada (muitas pessoas para uma mesma tarefa).

É também comum, mas nem sempre apontado nos registros de acompanhamento de obra, o retrabalho realizado. Refazer um serviço por erro de execução é perda de receita.

Um bom treinamento proporcionado pela própria construtora pode evitar desperdício de materiais, prevenir acidentes, falta de técnica e até falta de profissionalismo.

Você não precisa deixar os trabalhos travarem e o cronograma atrasar para descobrir que está com problema de administração do tempo. Na maioria dos casos, o problema do desperdício de tempo está relacionado a erros de planejamento. Planejamento impreciso resulta em uma gestão deficiente e impacta o processo produtivo.

Processos mal desenhados podem resultar em equipes inchadas e lentas. Mão de obra qualificada resulta em produtividade e qualidade. Contratar a equipe ideal é fundamental, mas não se esqueça de que é preciso manter os colaboradores conscientizados e orientados.

4 – Equipamentos

Similar à perda por dimensionamento incorreto de mão de obra é a perda ocorrida com equipamentos. O desperdício pode estar no tempo mal calculado, na falta de orientação a quem maneja os equipamentos ou até na destinação destinação dos funcionários a diferentes atividades em um mesmo período.

Sempre considere o tempo adequado para que a mão de obra faça seu trabalho, e os  distribua corretamente nos equipamentos.

5 – Indicador de desperdícios

Crie um indicador de desperdício

Como diz o ditado, não se gerencia aquilo que não se mede. Então, se você se pergunta como economizar na construção civil, deve controlar o desperdício de materiais, precisa definir indicadores. Se você já acompanha seus processos e conhece os números, agora precisa calcular.

Existe um cálculo específico para essa medição. Você define uma situação de referência e identifica a quantidade consumida. Depois, divide-a pela quantidade prevista e assim descobre o percentual do que é desperdiçado.

 

Fonte: sienge

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

BASE SETEMBRO/2020 - VALORES DE REFERÊNCIA PARA LOCAÇÃO DE EQUIPAMENTOShttps://sindileq.org.br/wp-content/uploads/2020/09/SUGESTAO-DE-PRECOS-BASE-SET2020.pdf